Dispositivos Médicos, Formação Pós-Graduada

Na sequência do sucesso junto dos profissionais de saúde da 1ª edição do Curso de Pós-Graduação “Dispositivos Médicos – do Conceito ao Mercado”, foi organizada uma nova edição envolvendo diversos profissionais e entidades do sector no corpo docente.

Embora os objectivos principais da formação sejam semelhantes à edição anterior, ou seja pretende-se seguir o percurso do dispositivo desde o investigador que teve a ideia até à colocação dessa ideia em prática, os desafios e impacto do futuro enquadramento regulamentar dos DMs na Indústria é um novo tema que pela sua pertinência merece destaque nesta nova edição.

O curso é organizado pelas Profas Doutoras Helena Margarida Ribeiro e Ana Francisca Bettencourt que leccionam na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. A ideia de lançar este curso surgiu do feedback da Unidade Curricular de opção (Dispositivos Médicos) que estas duas docentes leccionam no Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas.

A acção conta ainda com a colaboração do Infarmed e Apormed (Associação Portuguesa de Empresas de Dispositivos Médicos) e é creditada pela Ordem dos Farmacêuticos.

Na organização do curso procurou-se responder a necessidades práticas. Desta forma as responsáveis estabeleceram contactos com vários profissionais (industria farmacêutica, distribuidores, farmacêuticos, médicos, enfermeiros, etc) que poderiam dar o seu contributo e sugestões sobre o que consideravam importante abordar.

A organização do curso em 5 módulos dá a hipótese aos formandos realizarem o curso completo ou fazerem os módulos que lhes interessarem. No final receberão um certificado de presença ( apenas para quem frequentar o curso completo).

Os Dispositivos Médicos são uma área em pleno crescimento, quer em termos de mercado de trabalho, quer ao nível regulamentar. O curso permitirá aos que conhecem o sector actualizar os conhecimentos e os que não estão familiarizados terão uma oportunidade de ter a noção do que é necessário para colocar um DM no mercado.

O convívio e troca de experiência são igualmente aspectos que valorizamos no Curso.  Contamos com todos para o sucesso da nova edição.

A importância do PitchPH para os futuros farmacêuticos

Ana Rita CrespoNo meu último ano do Mestrado em Ciências Farmacêuticas na Universidade de Coimbra, ambicionava vir a integrar o setor da indústria farmacêutica. Na altura, tive conhecimento através das redes sociais que se iria realizar o Pitch Bootcamp organizado pela LisbonPH. Por ser específico para a área farmacêutica, fui ao encontro deste desafio!
Num mercado de trabalho atualmente tão dinâmico, competitivo e exigente, é importante diferenciarmo-nos e vender a nossa imagem de forma assertiva. O Pitch para experts da indústria farmacêutica promove a articulação da nossa capacidade de síntese e criatividade.

Na preparação para o Pitch, as técnicas de apresentação ensinadas contribuíram para me sentir mais confiante e estruturar o discurso com base num espírito inovador e disruptivo. A ponte que estabeleci entre a realidade do meio académico e a indústria teve valor acrescentado para o meu percurso profissional. Não só pelo networking estabelecido, mas também pelos conselhos construtivos que o painel foi fazendo ao longo dos Pitches.
Após esta experiência extremamente positiva e enriquecedora, considero que os estudantes finalistas só têm a ganhar ao abraçar a oportunidade em participar neste tipo de eventos.

“Nada se consegue sem esforço; tudo se pode conseguir com ele.” (Ralph Waldo Emerson)

Ana Rita Crespo – Market Access and Value

A LisbonPH e a Investigação Científica na FFULisboa

A LisbonPH é uma empresa jovem constituída por estudantes do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUlisboa).

Uma das principais funções da LisbonPH é organizar eventos científicos tendo dado, desde a sua formação, um contributo fundamental para o sucesso de várias reuniões científicas realizadas na FFULisboa.

Para além da sua capacidade empreendedora, a LisbonPH tem tido um papel crucial na iniciação à Investigação Científica dos alunos do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas da FFULisboa, fomentando a integração dos jovens estudantes pré-graduados nos grupos de investigação científica do Instituto de Investigação do Medicamento (iMedULisboa), onde estão incluídos a maioria dos docentes da FFULisboa.

O interesse dos jovens da LisbonPH pela Investigação Científica foi mais longe e em 2016 criaram a “Bolsa LisbonPH”, destinada a apoiar a Investigação dos alunos dos Mestrados do 2º ciclo de estudos lecionados na FFULisboa, com vista à elaboração das dissertações de Mestrado.

Tive oportunidade de acompanhar a “Bolsa LisbonPH” desde o início, quando foram estabelecidos os critérios de seleção, até à sua atribuição. Pude observar o grande rigor com que os jovens da LisbonPH conduziram o processo e a enorme preocupação que tiveram em estabelecer critérios justos que me levaram a confiar ainda mais nas novas gerações de Farmacêuticos. Por tudo isto acho que a equipa da LisbonPH está de parabéns e merece todo o apoio dos docentes da FFULisboa.

Nas palavras da vencedora da Bolsa da LisbonPH, Ana Poim: “temos um país de grandes investigadores e com grande potencialidade para a ciência, mas muitas vezes não existe interesse em ajudar a ciência a evoluir.
É cada vez mais necessário que tanto para os alunos interessados a prosseguir investigação, quer para os investigadores interessados em novos projetos, que exista um apoio para atingir esses objetivos.”

Para além disto, na opinião da mesma, “sem estes apoios, a bolsa da LisbonPH é uma oportunidade e um incentivo para os alunos de mestrado poderem desenvolver a sua tese e ter apoio na investigação. Iniciativas como estas são importantes para estimular os alunos a prosseguirem os seus estudos e ganharem gosto pelo trabalho de investigação. Gostaria que a LisbonPH continuasse a desenvolver iniciativas com este objetivo assim como a apoiar a investigação na Faculdade e no País.”

Ana Poim, vencedora da Bolsa LisbonPH
Prof. Maria José Umbelino, FFULisboa

Instagram

Instagram has returned invalid data.