Luís Afonso Dutschmann

Noções sobre o Lúpus Eritematoso Sistémico

      O Lúpus Eritematoso Sistémico [LES] é uma doença autoimune do tecido conectivo que pode afectar múltiplos órgãos ou sistemas, em particular: pele, articulações, superfícies serosas, coração, pulmões, rim e sistema nervoso central.

      A causa do LES é desconhecida. Na realidade, há uma perturbação da autoimunidade com a produção de um grande número de anticorpos. Estes anticorpos reagem com antigénios [nucleares, citoplasmáticos das células, linfócitos e plaquetas] formando imunocomplexos (antigénio + anticorpo) que se depositam na pele, rim, sistema nervoso central, membranas serosas e membranas sinoviais. Os próprios anticorpos podem reagir diretamente com os órgãos ou tecidos descritos anteriormente.

      Existem factores ambientais, endocrinológicos, genéticos e metabólicos que por si só ou em conjunto podem desencadear ou perpetuar a doença. Nos gémeos idênticos, se um tem Lúpus sistémico, o outro terá 70% de probabilidades de vir a ter; por outro lado os parentes de doentes com a doença têm anomalias imunológicas e existem casos familiares.

      Quanto aos fatores hormonais, sabemos que a doença atinge preferencialmente a mulher durante o seu período fértil. A doença melhora durante a gravidez e pode exacerbar-se após o parto. Os fatores ambientais são atestados pelo agravamento que surge muitas vezes com a exposição à luz ultravioleta e sol; a infeção agrava o quadro clínico e sabemos que há fármacos responsabilizados pelo desencadear da doença e outros que geram um quadro semelhante ao Lúpus, embora benigno e que cessa com a interrupção do medicamento. Outros fármacos podem agravar um Lúpus já existente como a penicilina, sulfamidas e contraceptivos orais.

      Os principais sintomas iniciais, acompanhados ou não de sinais gerais, costumam ser lesões da pele e articulares. Posteriormente, podem surgir outros sintomas como pericardite. No decurso da doença surgem outros: Pleurisias, pericardite, convulsões, manifestações psiquiátricas, doença renal, etc. No exame laboratorial pode detetar numerosos anticorpos com especial relevo para os antinucleares e anticorpos anti ADN, assim como alterações no doseamento do complemento.

      Estes doentes devem ser seguidos por um médico que que tenha experiência no diagnóstico e tratamento da doença e tanto pode ser um dermatologista, como um reumatologista ou especialista de medicina interna. O tratamento envolve o suporte emocional, os cuidados contra a exposição solar [roupa protetora do sol: mangas compridas e chapéus de aba larga], protetores solares que bloqueiem os UVA e UVB e o repouso. Para além destas medidas gerais, o tratamento inclui: analgésicos, anti-inflamatórios, corticoesteróides, anti maláricos e imunossupressores.

      O tratamento é determinado, em grande parte, mais pelas manifestações individuais da doença do que pelo diagnóstico primário. A intensidade da terapêutica deve basear-se na gravidade da doença e deve ser administrada por um período de tempo mais curto, com doses mais baixas possíveis, de forma a evitar a toxicidade.

      Estes doentes têm diferentes manifestações clínicas e a gravidade vai desde a doença episódica ligeira à doença rápida e muito grave. As exacerbações manifestam-se por actividade clínica e serológica. Quanto mais precoce for o diagnóstico, maior será o índice de sobrevivência.

-Luís Afonso Dutschmann, Presidente da Associação de Doentes com Lúpus
Maio de 2017

Yann Camus

The multidisciplinarity of the European Junior Movement

  Born 50 years ago in France, the Junior Enterprise concept aimed to bridge the gap between the theoretical knowledge that you acquire during classes and the job market where you need actual skills to succeed. There was and still is a clear gap between universities and companies and a strong lack of practical experience for the young people of Europe, resulting in the current and alarming youth unemployment rate of near 19% in the European Union.

    Indeed, universities teach knowledge to students by lectures and demonstrations, whereas skills and competencies can only and truly be acquired by concrete and practical experience. The best way to learn is by practicing and teaching something, both activities that are embedded in the JE concept. As you enter the JE, you start working on real projects for clients and managing the organization by yourself; and as you hand over to the next team, you teach them what you have learned over the year, thus making sure that you review and understand what you have achieved and learned. Thus, a Junior Entrepreneur learns by doing and maybe even more importantly, learns how to learn.

    In addition to this very important lesson, Junior Entrepreneurs have the unique opportunity to develop a broad set of soft skills throughout the experience, experimenting and learning about leadership, team and project management, teamwork, negotiation and sales, etc. All these skills are crucial, as an entrepreneur or as an employee and the impact of the JE experience has been demonstrated by a research conducted by the European Commission with the support of JADE:  “Effect and Impact of Entrepreneurship Education on Higher Education”. The outcomes of this research strongly support and recognize the efficiency of the JE concept. Junior Entrepreneurs show more developed entrepreneurial skills, as well as more successful companies created.

    Finally, Junior Entrepreneurs develop their hard skills as they realize real projects for real clients. By supporting an entrepreneur with his new website or realizing a market study for a SME or a big company willing to create a new product, you have the opportunity to actually do things instead of only studying them. And this is applicable in different fields as we see that the JE concept, born in a business school, has now spread to engineering, translation, architecture, legal and even arts over Europe and the world.

    It has been 50 years that this incredible concept has impacted society and you have been impacted by it. Now the question is: How are you going to give back to the JE movement and to society?

Written by Yann Camus for JADE May Conference hosted by Lisbon PH

O papel do empreendedorismo social no setor da Saúde

“Anatomia Humana, Biologia Celular, Fisiologia.” A todos os estudantes universitários da área da Saúde lhes é dada a oportunidade de conhecer e estudar estas matérias, aplicando-as na sua vida profissional.

“Uma situação de pobreza extrema aumenta a probabilidade de desenvolver problemas de Saúde a curto e longo prazo.” A todos os estudantes universitários da área da Saúde lhes é dada a oportunidade de conhecer estas realidades e de agir perante as mesmas.

Contudo, se nos é fornecido o conhecimento e a possibilidade de alterar os paradigmas que fundamentam a nossa sociedade atual, porque não é considerado um dever dos profissionais e estudantes de Saúde aliar estas duas componentes, procurando e incentivando a mudança?

Não se trata de um debate filosófico ou de devaneios de jovens imaturos colocar esta questão. As premissas são simples e a solução reside, talvez, na inconformidade de viver num mundo onde o acesso à Saúde é limitado pela condição sócio-económica, onde os cuidados primários e secundários de saúde ainda são, por muitos, considerados um luxo.

Acredito que é desta vontade de procurar agir e alterar a realidade em que vivemos que nasce o empreendedorismo social no sector da Saúde. O mesmo tem crescido cada vez mais ao longo dos últimos anos, principalmente nos bancos dos anfiteatros, no seio do meio académico. Aqueles que serão os profissionais do futuro, apoiados por aqueles que representam as diferentes classes profissionais, pelos seus exemplos e experiências, têm nas suas mãos não só o poder, mas a responsabilidade de desenvolver iniciativas que promovam e facilitem o acesso à Saúde.

O terceiro setor constitui o futuro da nossa sociedade e a consciencialização de que não podemos mais fechar os olhos aos problemas sociais que estão à nossa volta é uma necessidade urgente. O acesso ao medicamento, o acompanhamento terapêutico, a formação em saúde, etc, não são uma garantia de todos os cidadãos. No entanto, com ou sem as batas brancas que orgulhosamente vestimos, é nosso dever lutar por uma comunidade mais saudável, mais informada.

A loucura de querer mudar o mundo reside dentro de cada um de nós. Nós somos responsáveis pela realidade em que vivemos e temos a opção de escolher enfrentá-la e transformá-la. Qual é a tua escolha?

-Teresa Couto, Presidente da Associação Cura+

Instagram

🌍 No âmbito da Campanha de Sensibilização para os Direitos Humanos, a LisbonPH doou um Kit de Primeiros Socorros às crianças e jovens residentes no Wanalea Children’s Home, em Nairobi, Quénia, através do projeto “Dádivas de Esperança” da Associação da Defesa dos Direitos Humanos @addhuaddhu 
A esta agradecemos todo o trabalho que realiza em prol de um mundo mais justo e feliz!

Também queres contribuir para esta causa? Explora o catálogo do projeto em http://www.addhu.org/ficheiros/ADDHU__Catalogo_Dadivas_de_Esperanca.pdf e descobre como podes ajudar!
Para 2018 a LisbonPH deseja a todos os estudantes e profissionais de saúde um futuro mais empreendedor, criativo e multidisciplinar.

A todos um óptimo Ano Novo!
2018 promete novidades aos recém-mestres e aos estudantes que brevemente o serão. A equipa não podia estar mais empolgada para te contar tudo! A tua história pode começar aqui...
Curioso? Fica atento às redes sociais da LisbonPH!
A LisbonPH esteve hoje presente na Tomada de Posse dos Órgãos Sociais da @aefful para o mandato de 2017/2018. É um prazer para nós partilhar a nossa casa com esta instituição e queremos deixar os votos de um excelente mandato e de um ano recheado de sucesso.
Hoje estivemos presentes no evento Let's Talk About Science, um evento que conjuga a vertente de investigação com a inovação, organizado pela AEFFUL em parceria com a LisbonPH. Obrigado a todos os que estiveram presentes🔬
No dia 10 de dezembro de 1948, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou a Declaração Universal dos Direitos Humanos e, desde então que, neste dia, se celebra o Dia Internacional dos Direitos Humanos, em homenagem ao empenho e dedicação de todos os que têm contribuído por um mundo mais justo e igual. 
Tens a oportunidade de, durante o dia de amanhã, assinar petições da Amnistia Internacional, de uma forma digital. Não percas a oportunidade, de poderes fazer uma grande diferença com um pequeno gesto!

Desperta o teu lado Humano.

#PartilhaOsTeusDireitos
💊💹💲 O FEPS'17 está quase aí e a equipa continua a trabalhar para te trazer o melhor evento possível!

Tens apenas 3 DIAS até ao fim nas inscrições - Vens discutir O Valor do Medicamento?
Hoje marcámos presença em mais um jeDAY para comemorar o dia internacional do Júnior Empresário, desta vez organizado pela Nova Junior Consulting. Trouxemos connosco dois dos nossos Alumni, Margarida Gaião e Cláudio Carmona, que integraram a Mesa Redonda subordinada ao tema "Junior Enterprises Shaping Career's". Consideramos muito enriquecedor a partilha de conhecimento e experiências entre Júnior Empresários.

#TogetherWeGrow
Hoje voltámos ao Porto para dar um Workshop de empreendedorismo na Saúde no Business Camp da @nowscience . É um prazer poder espalhar o empreendedorismo juvenil por Portugal!

Próximos eventos

Não existem eventos agendados de momento.