A LisbonPH como rampa de lançamento dos estudantes no mercado de trabalho

O meu nome é Marta Reis e de momento encontro-me no 4.º ano do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.
No meu segundo ano, decidi abraçar a oportunidade de complementar a minha educação com uma vertente mais prática, desafiante e direcionada ao mercado de trabalho. Oportunidade essa que possibilitou muito mais do que esperava, ao candidatar-me à LisbonPH, Júnior Empresa da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, mais concretamente ao Departamento de Projetos que, posteriormente, tive a oportunidade de liderar.
Por pertencer a uma equipa jovem, motivada, empreendedora, com uma sede insaciável, não só pelo seu desenvolvimento enquanto equipa, mas também pelo desenvolvimento da profissão farmacêutica, tive a oportunidade de, durante dois anos e meio, adquirir soft e hard-skills que muito dificilmente desenvolveria fora. Entre as quais, gestão de tempo, liderança, public speaking, gestão de projeto, gestão de conflitos, organização, entre outros.
Em virtude deste processo de aprendizagem e contacto com o mercado de trabalho, tive a oportunidade de inovar, expandir e desafiar os limites do que um estudante se encontra apto a realizar. Hoje, considero-me mais preparada para ingressar no mercado de trabalho não só com um maior nível de know-how, mas também com uma perspetiva mais ampla e clara do mesmo.
A nível pessoal tenho muito a agradecer não só à equipa com que experienciei esta aventura, mas também à própria estrutura da LisbonPH em si.
Tive ainda a oportunidade de me envolver não só em atividades ao nível da área das Ciências Farmacêuticas, mas também, através da minha participação no Movimento Júnior em que a LisbonPH se enquadra. Participei em atividades internacionais e nacionais juntamente com muitos outros jovens que partilham este mesmo desejo de aprender e de desde cedo impactar as esferas de ação onde se inserem.
Para mim, pertencer à LisbonPH foi uma “life-changing experience”. A qual não trocaria por qualquer outro tipo de experiência e que gostaria de poder partilhar, com todos os jovens que consideram que o conhecimento académico é demasiado teórico ou que simplesmente sentem a necessidade, de diariamente, se sentirem desafiados e a evoluir. 

Marta Reis, Alumna da LisbonPH