Entries by lisbonph

Get to Know the Alumni – Nuno Romana

Ainda ontem apresentava a tese, em 2015. Agora, com 30 anos de idade e 7 anos de Indústria Farmacêutica, é deveras curioso como as várias experiências durante a faculdade influenciaram o meu percurso profissional. Tive o prazer de fazer parte da primeira equipa oficial da LisbonPH. Foi uma época muito interessante! Tive contacto em primeira […]

Get to Know the Alumni – Sara Reis

Olá a todos! O meu nome é Sara Reis, tenho 24 anos e posso dizer, com orgulho, que estou ligada à LisbonPH há 3 anos, agora, através do seu Alumni Board. Enquanto estudantes de Ciências Farmacêuticas da FFUL, são poucos aqueles que passam pelo MICF sem serem impactados pela LisbonPH. Por essa razão, em 2019, […]

O enquadramento dos Serviços Farmacêuticos no Ambiente Hospitalar

Os Serviços Farmacêuticos Hospitalares, de acordo com as funções atribuídas e a sua capacidade, exercem a sua atividade tendo como objetivo essencial o cidadão em geral e a pessoa com doença, em particular. A sua missão consiste em garantir que os medicamentos, dispositivos médicos e outros produtos farmacêuticos são eficazes, seguros e custo-efetivos, e estão […]

A importância da Canábis Medicinal enquanto opção

A utilização da Cannabis sativa e dos seus derivados para fins medicinais é conhecida e reconhecida há muitos anos. No entanto, o estudo das suas propriedades terapêuticas, dos recetores canabinoides (CB1 e CB2), das enzimas envolvidas no seu metabolismo e a descoberta dos canabinoides endógenos são bem mais recentes.  Inúmeros estudos sobre o isolamento dos […]

XVIII Recrutamento – Testemunho de Marta Reis

Olá a todos! O meu nome é Marta Reis, tenho 23 anos e, em 2017, ingressei numa das experiências mais recompensadoras da minha vida, a LisbonPH.

Ao entrar no Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, apercebi-me que apesar do nosso curso ser muito completo a nível científico, existiam experiências que podiam complementar o meu percurso académico. Assim, dei por mim a olhar todos os dias para o cartaz do Recrutamento da LisbonPH e a pensar se esta não seria a oportunidade ideal para mim. Após um extenso período de reflexão decidi que me iria candidatar ao Departamento de Projetos. E que viagem que foi! 

Entrei no Departamento de Projetos, um departamento privilegiado com uma forte componente de trabalho polivalente e com uma visão ampla da Júnior Empresa e de todas as suas atividades. Este departamento, estratégico e operacional, incutiu em mim um grande sentido de organização, priorização de tarefas, pensamento crítico, entre outras competências. Permitiu-me ainda desenvolver um conjunto de soft skills, que acredito que de outra forma e noutra equipa não desenvolveria.

Através de uma equipa multidisciplinar, motivada e sempre com o desejo de fazer mais e melhor, ingressei em diversos projetos, com vertentes muito distintas. 

Com o passar do tempo e devido a esta vontade de fazer sempre mais e melhor, desafiei-me e, no meu terceiro ano do curso, candidatei-me e fui eleita Diretora do Departamento de Projetos. Foi neste cargo com um carácter muito mais estratégico, onde tive a oportunidade de ver a “Big Picture” do que é o Movimento Júnior e o funcionamento de uma Júnior Empresa. 

Fazer parte do Conselho de Administração, foi como iniciar uma nova viagem, com novos desafios e consequentemente novas aprendizagens. Gestão de tempo,  metodologia de trabalho, escuta ativa, liderança e como dar e receber feedback, foram algumas das capacidades que mais desenvolvi e que ainda hoje emprego no meu dia a dia. 

Ao acabar o curso e ingressar no mundo do trabalho, tentei ao máximo levar comigo todas as ferramentas que a LisbonPH me ofereceu. De momento, ocupo o cargo de Medical Scientific Liaison na Bayer, onde ingressei como estagiária em Medical Affairs Consumer Health após terminar o mestrado. Aqui, tenho a oportunidade de aliar os conhecimentos científicos do MICF com as ferramentas que desenvolvi na LisbonPH, trabalhando todos os dias com o objetivo de ser uma Profissional de Saúde empreendedora, criativa e multidisciplinar. 

Para terminar e como na vida nem tudo é trabalho, acredito que é importante ressalvar ainda uma das componentes mais importantes da LisbonPH, o espírito de equipa, a dedicação e o “amor à camisola” que fez com que esta equipa se transformasse num conjunto de amizades que ainda hoje tenho o prazer de manter. 

Para quem estava hesitante em candidatar-se, quem diria que seria uma experiência tão marcante na minha vida? Quem diria que aprenderia tanto, teria memórias tão queridas para mim ao ponto de ter dificuldades em explicar o quão impactante foi a LisbonPH na minha vida.

Correndo o risco de ser cliché, o importante da vida não é o destino, mas sim a viagem. O meu conselho é: se tiveres oportunidade, aceita o desafio! Aprende tudo o que conseguires e retira o máximo desta experiência, que sairás desta viagem com um sentimento de realização e orgulho. 

Um beijinho,
Marta Reis. 

Suporte Básico de Vida

A Paragem Cardiorrespiratória (PCR) é um acontecimento imprevisto e repentino, constituindo-se como uma das principais causas de morte nos países desenvolvidos. Estima-se que afete entre 350.000 e 700.000 indivíduos/ano na Europa e cerca de 10.000 indivíduos/ano em Portugal. Destes, apenas 5,19% sobrevivem.  A localização da maioria das PCR pode ser uma variável importante, uma vez […]

Get to Know the Alumni – Diogo Pacheco

Olá, sou o Diogo Pacheco e tenho 26 anos.  Em 2014 comecei a aventura que é o Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas na nossa casa, a FFUL. Nos primeiros anos do curso aproveitei para participar em vários congressos e simpósios, alguns deles organizados pela LisbonPH. Estas experiências deram-me a conhecer o trabalho desenvolvido pela nossa […]

Get to Know the Alumni – Catarina Martins

Olá a todos, Sou a Catarina Martins, tenho 26 anos e venho da bela Ilha da Madeira.  Ingressei no Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas (MICF) no ano 2014 e desde logo me interessei pelo projeto da LisbonPH.  Tive a oportunidade de integrar a LisbonPH em 2016, no Departamento de Inovação e Científico, onde fui muito […]

Performance nas empresas: O que aprendemos com o Desporto

A performance, independentemente do contexto, tem sido sempre vista como uma imposição da própria sociedade. Se o colaborador quer progredir na carreira tem de manifestar uma disponibilidade que é, frequentemente, incompatível com o equilíbrio da vida pessoal e profissional, e até com a saúde, tal é a exigência do mundo corporativo atual.  Este quadro descrito […]