Sem Título-1
o que é a DVC
o que é a DVC

A Doença Venosa Crónica corresponde a uma anomalia do funcionamento do sistema venoso, caracterizada por uma disfunção das paredes e válvulas das veias dos membros inferiores. Estas disfunções prejudicam o fluxo venoso dos mesmos de volta ao coração. A Doença Venosa Crónica é, atualmente, considerada uma patologia crónica e evolutiva que afeta uma grande parte da população mundial.

Com a Campanha de Sensibilização, em parceria com Daflon®1000, a LisbonPH tem como principal objetivo dar a conhecer a Doença Venosa Crónica, assim como os seus sintomas, sinais, formas de prevenção e tratamento. 

A Doença Venosa Crónica corresponde a uma anomalia do funcionamento do sistema venoso, caracterizada por uma disfunção das paredes e válvulas das veias dos membros inferiores. Estas disfunções prejudicam o fluxo venoso dos mesmos de volta ao coração. A Doença Venosa Crónica é, atualmente, considerada uma patologia crónica e evolutiva que afeta uma grande parte da população mundial.

Com a Campanha de Sensibilização, em parceria com Daflon®1000, a LisbonPH tem como principal objetivo dar a conhecer a Doença Venosa Crónica, assim como os seus sintomas, sinais, formas de prevenção e tratamento. 

Segundo a Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular, cerca de um terço da população portuguesa sofre de Doença Venosa Crónica.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular, cerca de um terço da população portuguesa sofre de Doença Venosa Crónica.

35%
35%

2 milhões de mulheres com mais de 30 anos sofrem desta patologia. Adicionalmente, 7 em cada 10 mulheres dessa mesma faixa etária sofrem de problemas de circulação venosa e metade ainda não está tratada.

2 milhões de mulheres com mais de 30 anos sofrem desta patologia. Adicionalmente, 7 em cada 10 mulheres dessa mesma faixa etária sofrem de problemas de circulação venosa e metade ainda não está tratada.

0
0

De acordo com esta mesma fonte, 53% dos portugueses com Doença Venosa Crónica nunca realizaram qualquer tipo de tratamento, pois acreditam que é uma condição normal da idade e “não há nada a fazer”.

Portugueses que não realizam tratamento:
53%

Calcula-se que a Doença Venosa Crónica é responsável, em Portugal, por um milhão de dias de trabalho perdidos, por 21% de mudanças nos postos de trabalho e 8% das reformas antecipadas.

Mudança nos postos de trabalho:
21%
Reformas antecipadas por causa da DVC:
8%

Verifica-se, portanto, que esta é uma patologia com um grande impacto na qualidade de vida dos doentes, sendo que 48% da população portuguesa sofre regularmente de dor nos tornozelos e/ou pernas e 58% da população feminina, com mais de 40 anos de idade, sente a sua qualidade de vida significativamente afetada pela Doença Venosa Crónica. A nível económico, a DVC tem um custo anual de cerca de 600 a 900 milhões de euros, o que representa 1 a 2% do orçamento total para a Saúde. 

De acordo com esta mesma fonte, 53% dos portugueses com Doença Venosa Crónica nunca realizaram qualquer tipo de tratamento, pois acreditam que é uma condição normal da idade e “não há nada a fazer”.

Portugueses que não realizam tratamento:
53%

Calcula-se que a Doença Venosa Crónica é responsável, em Portugal, por um milhão de dias de trabalho perdidos, por 21% de mudanças nos postos de trabalho e 8% das reformas antecipadas

Mudanças nos postos de trabalho:
21%
Reformas antecipadas por causa da DVC
8%

Verifica-se, portanto, que esta é uma patologia com um grande impacto na qualidade de vida dos doentes, sendo que 48% da população portuguesa sofre regularmente de dor nos tornozelos e/ou pernas e 58% da população feminina, com mais de 40 anos de idade, sente a sua qualidade de vida significativamente afetada pela Doença Venosa Crónica. A nível económico, a DVC tem um custo anual de cerca de 600 a 900 milhões de euros, o que representa 1 a 2% do orçamento total para a Saúde. 

População Portuguesa com dor regular nos tornozelos e/ou pernas:
48%
População feminina, com mais de 40 anos, que sente que a doença afeta a sua qualidade de vida:
58%
População Portuguesa com dor regular nos tornozelos e/ou pernas:
48%
População feminina, com mais de 40 anos, que sente que a doença afeta a sua qualidade de vida:
58%

Os fatores de risco que podem estar associados ao aparecimento ou agravamento dos sintomas da Doença Venosa Crónica são variados:

Os fatores de risco que podem estar associados ao aparecimento ou agravamento dos sintomas da Doença Venosa Crónica são variados:

Algumas profissões que exijam longos períodos em pé ou sentado também aumentam a predisposição para o desenvolvimento de Doença Venosa Crónica, por exemplo, cabeleireiros, operadores de caixa, equipas de Saúde, hospedeiras, cirurgiões ou cozinheiros.

Algumas profissões que exijam longos períodos em pé ou sentado também aumentam a predisposição para o desenvolvimento de Doença Venosa Crónica, por exemplo, cabeleireiros, operadores de caixa, equipas de Saúde, hospedeiras, cirurgiões ou cozinheiros.

A Doença Venosa Crónica é uma patologia que afeta os membros inferiores e, embora muitos doentes desvalorizem os sinais e sintomas numa fase inicial, pode ter um impacto negativo na qualidade de vida. 

A Doença Venosa Crónica é uma patologia que afeta os membros inferiores e, embora muitos doentes desvalorizem os sinais e sintomas numa fase inicial, pode ter um impacto negativo na qualidade de vida. 

Alguns sinais aos quais se deve estar atento são:

Relativamente aos sintomas, não devem ser ignorados:

Alguns sinais aos quais se deve estar atento são:

Relativamente aos sintomas, não devem ser ignorados:

A Doença Venosa Crónica pode ser prevenida e controlada através da adoção de medidas que promovem a circulação venosa. É, deste modo, essencial:

A Doença Venosa Crónica pode ser prevenida e controlada através da adoção de medidas que promovem a circulação venosa. É, deste modo, essencial:

Adicionalmente, também poderá ser benéfica a utilização de:

Adicionalmente, também poderá ser benéfica a utilização de:

O tratamento da Doença Venosa Crónica depende da presença e gravidade dos sintomas, podendo incluir fármacos vasoativos, compressão elástica ou até intervenções cirúrgicas. 

Já olhou para as suas pernas hoje? Não deixe as suas pernas arrastar mais! Consulte o seu médico ou farmacêutico.

O tratamento da Doença Venosa Crónica depende da presença e gravidade dos sintomas, podendo incluir fármacos venoativos, compressão elástica ou até intervenções cirúrgicas. Já olhou para as suas pernas hoje? Não deixe as suas pernas arrastar mais! Consulte o seu médico ou farmacêutico.

O tratamento da Doença Venosa Crónica depende da presença e gravidade dos sintomas, podendo incluir fármacos venoativos, compressão elástica ou até intervenções cirúrgicas. Já olhou para as suas pernas hoje? Não deixe as suas pernas arrastar mais! Consulte o seu médico ou farmacêutico.

A LisbonPH – Júnior Empresa da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUL) – é uma associação sem fins lucrativos fundada em dezembro de 2013, por um grupo de estudantes empreendedores, dinâmicos e com vontade de acrescentar valor à sua formação pessoal e profissional. A nossa visão é “Pelo desenvolvimento do Profissional de Saúde do futuro, empreendedor, criativo e multidisciplinar” e a nossa missão consiste na promoção e apoio ao empreendedorismo na área da Saúde e em toda a comunidade da FFUL.

A LisbonPH – Júnior Empresa da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUL) – é uma associação sem fins lucrativos fundada em dezembro de 2013, por um grupo de estudantes empreendedores, dinâmicos e com vontade de acrescentar valor à sua formação pessoal e profissional. A nossa visão é “Pelo desenvolvimento do Profissional de Saúde do futuro, empreendedor, criativo e multidisciplinar” e a nossa missão consiste na promoção e apoio ao empreendedorismo na área da Saúde e em toda a comunidade da FFUL.

Daflon®1000 é um medicamento indicado para o tratamento dos sintomas e sinais relacionados com a Insuficiência Venosa e tratamento sintomático da Crise Hemorroidária.

Quer conhecer todas as novidades da LisbonPH?
Quer conhecer todas as novidades da LisbonPH? pc

A LisbonPH – Júnior Empresa da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUL) – é uma associação sem fins lucrativos fundada em dezembro de 2013, por um grupo de estudantes empreendedores, dinâmicos e com vontade de acrescentar valor à sua formação pessoal e profissional. A nossa visão é “Pelo desenvolvimento do Profissional de Saúde do futuro, empreendedor, criativo e multidisciplinar” e a nossa missão consiste na promoção e apoio ao empreendedorismo na área da Saúde e em toda a comunidade da FFUL.

DAF24124

Folheto informativo: Informação para o utilizador Daflon® 500 mg ou 1000 mg comprimidos (comp.) revestidos (rev.) por película | Daflon® 1000 mg comprimidos mastigáveis | Bioflavonoides (Fração flavonoica purificada micronizada). Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém informação importante para si. Tome este medicamento exatamente como está descrito neste folheto, ou de acordo com as indicações do seu médico, farmacêutico ou enfermeiro. Caso precise de esclarecimentos ou conselhos, consulte o seu farmacêutico. Se tiver quaisquer efeitos indesejáveis, incluindo possíveis efeitos indesejáveis não indicados neste folheto, fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro. Se não se sentir melhor ou se piorar após 7 dias, tem de consultar um médico. O que é Daflon® e para que é utilizado: Daflon® é um venotrópico e um protetor vascular. É utilizado para tratamento dos sintomas e sinais relacionados com a insuficiência venosa (pernas pesadas, dor, cansaço, edema) e tratamento sintomático da crise hemorroidária. Não tome Daflon® se tem alergia aos bioflavonoides ou a qualquer outro componente deste medicamento. Advertências e precauções: Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Daflon®. Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos. Gravidez e amamentação: Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento. Como medida de precaução, é preferível evitar a utilização de Daflon® durante a gravidez. A amamentação não é recomendada durante o tratamento, devido à ausência de dados sobre a excreção do medicamento no leite materno. Condução de veículos e utilização de máquinas: O Daflon® parece não interferir na capacidade de condução ou de utilização de máquinas. Caso ocorram tonturas não deve conduzir ou utilizar máquinas.   Daflon® 500 e 1000 comp. rev. contém sódio. Estes medicamentos contêm menos do que 1 mmol (23 mg) de sódio por comprimido, ou seja, é praticamente “isento de sódio”. Daflon® 1000 comp. rev. contém 0,00338 mg de álcool benzílico por comp. Daflon® 1000 mg comp. mastigável contém 0,00429 mg de álcool benzílico em cada comp. O álcool benzílico pode causar reações alérgicas. Consulte o seu médico ou farmacêutico se tiver uma doença de fígado ou rins. Isto porque podem acumular-se grandes quantidades de álcool benzílico no seu corpo e pode causar efeitos indesejáveis (“acidose metabólica”). Daflon® 1000 mg comp. mastigável contém 1227,37 mg de sorbitol por comprimido. O sorbitol é uma fonte de frutose. Se o seu médico lhe disse que tem uma intolerância a alguns açúcares ou se foi diagnosticado com intolerância hereditária à frutose (IHF), uma doença genética rara em que a pessoa não consegue digerir a frutose, fale com o seu médico antes de você tomar ou receber este medicamento. Como tomar Daflon®: Tome este medicamento exatamente como está descrito neste folheto, ou de acordo com as indicações do seu médico, farmacêutico ou enfermeiro. Fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro se tiver dúvidas. A dose recomendada é 1000 mg por dia. O comprimido mastigável deve ser mastigado inteiro. Na crise hemorroidária:  nos 4 primeiros dias tome: 1000 mg 3 vezes ao dia, nos 3 dias seguintes tome 1000 mg 2 vezes ao dia, em seguida voltar à posologia de manutenção de 1000 mg por dia. Se tomar mais Daflon® do que deveria, contacte imediatamente o seu médico ou farmacêutico. A experiência de sobredosagens com Daflon® é limitada, mas os sintomas notificados incluem diarreia, náusea, dor abdominal, prurido e erupção cutânea. Caso se tenha esquecido de tomar Daflon®, tome a próxima dose à hora habitual. Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar. Na ausência de melhoria dos sintomas ao fim de uma semana deve consultar o seu médico.  Efeitos indesejáveis possíveis: Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos indesejáveis, embora estes não se manifestem em todas as pessoas. Por ordem decrescente de frequência, os efeitos indesejáveis podem incluir: Doenças do sistema nervoso: Raros: tonturas, cefaleias, mal-estar.  Doenças gastrointestinais: Frequentes: diarreia, dispepsia, náuseas, vómitos. Pouco frequentes: colite. Frequência desconhecida: dor abdominal. Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos: Raros: erupções cutâneas, prurido, urticária.  Frequência desconhecida: edema isolado da face, lábios, pálpebras. Excecionalmente edema de Quincke. Comunicação de efeitos indesejáveis: Se tiver quaisquer efeitos indesejáveis, incluindo possíveis efeitos indesejáveis não indicados neste folheto, fale com o seu médico, ou farmacêutico ou enfermeiro. Também poderá comunicar efeitos indesejáveis diretamente ao INFARMED, I.P. através dos seguintes contactos: Sítio da internet: http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram (preferencialmente) ou através da Direção de Gestão do Risco de Medicamentos, Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53, 1749-004 Lisboa, Tel: +351 21 798 73 73, Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita), E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt. Ao comunicar efeitos indesejáveis, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento. Como conservar Daflon®: Conservar a temperatura inferior a 25º C.  Manter o Daflon® fora da vista e do alcance das crianças. Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem exterior e no blister, após “EXP”. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado. Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente. Conteúdo da embalagem e outras informações. Qual a composição de Daflon®: As substâncias ativas são bioflavonoides (Fração flavonoica purificada micronizada). Cada comp. rev. por película de 500 mg (ou 1000 mg) contém: 90% de diosmina, ou seja 450 mg (ou 900 mg) por comp. rev. por película, e 10% de flavonoides expressos em hesperidina, ou seja 50 mg (ou 100 mg) por comp. rev. por película. Os outros componentes de Daflon® 500 e 1000 comp. rev. são: Núcleo: carboximetilamido sódico, celulose microcristalina, gelatina, estearato de magnésio e talco. O Daflon® 1000 contem ainda aroma de laranja (que contém álcool benzílico). Revestimento: glicerol, macrogol 6000, hipromelose, laurilsulfato de sódio, dióxido de titânio (E 171), óxido de ferro amarelo (E 172), óxido de ferro vermelho (E 172) e estearato de magnésio. Os outros componentes de Daflon® 1000 comp. mastigáveis são: Manitol, sorbitol, maltodextrina, aroma de laranja (contém álcool benzílico), acessulfamo potássico, estearato de magnésio, sílica coloidal anidra. Qual o aspeto de Daflon® 500 e 1000 comp. rev. e conteúdo da embalagem: Os comps revs são de cor salmão e de forma oval e estão disponíveis em embalagens de 60 e 120 comprimidos (Daflon® 500) e de 30 e 60 cps (Daflon® 1000). Os comps mastigáveis são amarelo-acastanhados, disponíveis em embalagens de 30 e 60 cps. Titular da Autorização de Introdução no Mercado: Servier Portugal – Especialidades Farmacêuticas, Lda., Torre Oriente – Avª Colégio Militar 37F – piso 6 – fração B, 1500-180 Lisboa, Portugal, tel: 21 312 20 00, e-mail: servier.portugal@servier.com. Fabricante: Laboratorios Servier, S.L., Avenida de los Madroños, 33, 28043 Madrid, Espanha ou Les Laboratoires Servier Industrie (LSI), 905 route de Saran, 345520 Gidy, França. Este folheto foi revisto pela última vez em 11/2023.

Informações Essenciais constantes no RCM: Nome do medicamento*: Daflon® 1000. Composição*: Bioflavonoides (Fração flavonóica purificada micronizada). Cada comprimido de 1000 mg contém: 90% de diosmina, ou seja, 900 mg; 10% de flavonoides expressos em hesperidina, ou seja, 100 mg. Forma farmacêutica*: Comprimido revestido por película, cor de salmão e de forma oval. Comprimido mastigável de cor amarela pálida mosqueada, forma redonda. Indicações terapêuticas*: Tratamento dos sintomas e sinais relacionados com a insuficiência venosa (pernas pesadas, dor, cansaço, edema). Tratamento sintomático da crise hemorroidária. Posologia e modo de administração*: Posologia habitual: 1 comprimido por dia. Na crise hemorroidária: nos 4 primeiros dias: 1 comprimido 3 vezes ao dia; nos 3 dias seguintes: 1 comprimido 2 vezes ao dia; em seguida voltar à posologia de manutenção: 1 comprimido por dia. Modo de administração: o comprimido mastigável deve ser mastigado inteiro e em seguida, o que sobrar, deglutido. Contraindicações*: Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização*: A administração deste medicamento no tratamento sintomático da crise hemorroidária não substitui o tratamento de outros problemas anais. Se não houver remissão dos sintomas, deve ser consultado um médico de forma a proceder-se ao exame proctológico e à revisão do tratamento, caso haja necessidade. Excipientes: Daflon® 1000 comprimido revestido por película é isento de sódio; Daflon®1000 comprimido mastigável contém sorbitol e álcool benzílico O álcool benzílico pode causar reações alérgicas. Interações medicamentosas e outras formas de interação*: Não foram realizados estudos de interação. Da experiência de pós-comercialização do medicamento, nenhuma interação medicamentosa clinicamente relevante foi notificada até à data. Fertilidade, gravidez e aleitamento*: Gravidez: Os estudos em animais não indicam toxicidade reprodutiva.  A quantidade de dados sobre a utilização da fração flavonóica purificada micronizada em mulheres grávidas, é limitada ou inexistente. Como medida de precaução, o tratamento deve ser evitado durante a gravidez. Amamentação: Desconhece-se se a substância ativa/metabolitos são excretados no leite humano. Não pode ser excluído qualquer risco para os recém-nascidos/lactentes. Tem que ser tomada uma decisão sobre a descontinuação da amamentação ou a descontinuação/abstenção da terapêutica com Daflon® 1000 tendo em conta o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica para a mulher. Fertilidade: Estudos de toxicidade em ratos machos e fêmeas não mostraram efeitos na fertilidade. Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas*. Efeitos indesejáveis*: Frequentes: diarreia, dispepsia, náuseas, vómitos. Pouco frequentes: colite. Raros: tonturas, cefaleias, mal-estar geral, erupções cutâneas, prurido, urticária. Frequência desconhecida: dor abdominal, edema isolado da face, dos lábios e das pálpebras. Excecionalmente edema de Quincke. Sobredosagem*: Sintomas:  A experiência de sobredosagem com Daflon® 1000 é limitada. Os eventos adversos mais frequentemente notificados em casos de sobredosagem foram eventos gastrointestinais (tais como diarreia, náuseas, dor abdominal) e eventos cutâneos (tais como prurido, erupção cutânea). Tratamento: O tratamento da sobredosagem deve consistir no tratamento dos sintomas clínicos. Propriedades farmacológicas*: Daflon® 1000 exerce uma ação sobre o sistema vascular de retorno: ao nível das veias, diminui a distensibilidade venosa e reduz a estase venosa; ao nível da microcirculação, normaliza a permeabilidade capilar e reforça a resistência capilar. Apresentação: Caixas de 30 e 60 comprimidos. Titular da AIM: Servier Portugal – Especialidades Farmacêuticas, Lda., Torre Oriente – Avª Colégio Militar 37F – Piso 6 – Fração B, 1500-180 Lisboa. Tel: 213122000. www.servier.pt.  Para mais informações deverá contactar o titular de AIM. Daflon® 1000 é um MNSRM. RCM Daflon®1000 comprimido revestido por película aprovado em 03.2023. RCM Daflon®1000 mastigável aprovado em 02.2023. IECRCM 20.07.23 *Para uma informação completa por favor leia o Resumo das Características do Medicamento.

DAF24124

Folheto informativo: Informação para o utilizador Daflon® 500 mg ou 1000 mg comprimidos (comp.) revestidos (rev.) por película | Daflon® 1000 mg comprimidos mastigáveis | Bioflavonoides (Fração flavonoica purificada micronizada). Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém informação importante para si. Tome este medicamento exatamente como está descrito neste folheto, ou de acordo com as indicações do seu médico, farmacêutico ou enfermeiro. Caso precise de esclarecimentos ou conselhos, consulte o seu farmacêutico. Se tiver quaisquer efeitos indesejáveis, incluindo possíveis efeitos indesejáveis não indicados neste folheto, fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro. Se não se sentir melhor ou se piorar após 7 dias, tem de consultar um médico. O que é Daflon® e para que é utilizado: Daflon® é um venotrópico e um protetor vascular. É utilizado para tratamento dos sintomas e sinais relacionados com a insuficiência venosa (pernas pesadas, dor, cansaço, edema) e tratamento sintomático da crise hemorroidária. Não tome Daflon® se tem alergia aos bioflavonoides ou a qualquer outro componente deste medicamento. Advertências e precauções: Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Daflon®. Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos. Gravidez e amamentação: Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento. Como medida de precaução, é preferível evitar a utilização de Daflon® durante a gravidez. A amamentação não é recomendada durante o tratamento, devido à ausência de dados sobre a excreção do medicamento no leite materno. Condução de veículos e utilização de máquinas: O Daflon® parece não interferir na capacidade de condução ou de utilização de máquinas. Caso ocorram tonturas não deve conduzir ou utilizar máquinas.   Daflon® 500 e 1000 comp. rev. contém sódio. Estes medicamentos contêm menos do que 1 mmol (23 mg) de sódio por comprimido, ou seja, é praticamente “isento de sódio”. Daflon® 1000 comp. rev. contém 0,00338 mg de álcool benzílico por comp. Daflon® 1000 mg comp. mastigável contém 0,00429 mg de álcool benzílico em cada comp. O álcool benzílico pode causar reações alérgicas. Consulte o seu médico ou farmacêutico se tiver uma doença de fígado ou rins. Isto porque podem acumular-se grandes quantidades de álcool benzílico no seu corpo e pode causar efeitos indesejáveis (“acidose metabólica”). Daflon® 1000 mg comp. mastigável contém 1227,37 mg de sorbitol por comprimido. O sorbitol é uma fonte de frutose. Se o seu médico lhe disse que tem uma intolerância a alguns açúcares ou se foi diagnosticado com intolerância hereditária à frutose (IHF), uma doença genética rara em que a pessoa não consegue digerir a frutose, fale com o seu médico antes de você tomar ou receber este medicamento. Como tomar Daflon®: Tome este medicamento exatamente como está descrito neste folheto, ou de acordo com as indicações do seu médico, farmacêutico ou enfermeiro. Fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro se tiver dúvidas. A dose recomendada é 1000 mg por dia. O comprimido mastigável deve ser mastigado inteiro. Na crise hemorroidária:  nos 4 primeiros dias tome: 1000 mg 3 vezes ao dia, nos 3 dias seguintes tome 1000 mg 2 vezes ao dia, em seguida voltar à posologia de manutenção de 1000 mg por dia. Se tomar mais Daflon® do que deveria, contacte imediatamente o seu médico ou farmacêutico. A experiência de sobredosagens com Daflon® é limitada, mas os sintomas notificados incluem diarreia, náusea, dor abdominal, prurido e erupção cutânea. Caso se tenha esquecido de tomar Daflon®, tome a próxima dose à hora habitual. Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar. Na ausência de melhoria dos sintomas ao fim de uma semana deve consultar o seu médico.  Efeitos indesejáveis possíveis: Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos indesejáveis, embora estes não se manifestem em todas as pessoas. Por ordem decrescente de frequência, os efeitos indesejáveis podem incluir: Doenças do sistema nervoso: Raros: tonturas, cefaleias, mal-estar.  Doenças gastrointestinais: Frequentes: diarreia, dispepsia, náuseas, vómitos. Pouco frequentes: colite. Frequência desconhecida: dor abdominal. Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos: Raros: erupções cutâneas, prurido, urticária.  Frequência desconhecida: edema isolado da face, lábios, pálpebras. Excecionalmente edema de Quincke. Comunicação de efeitos indesejáveis: Se tiver quaisquer efeitos indesejáveis, incluindo possíveis efeitos indesejáveis não indicados neste folheto, fale com o seu médico, ou farmacêutico ou enfermeiro. Também poderá comunicar efeitos indesejáveis diretamente ao INFARMED, I.P. através dos seguintes contactos: Sítio da internet: http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram (preferencialmente) ou através da Direção de Gestão do Risco de Medicamentos, Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53, 1749-004 Lisboa, Tel: +351 21 798 73 73, Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita), E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt. Ao comunicar efeitos indesejáveis, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento. Como conservar Daflon®: Conservar a temperatura inferior a 25º C.  Manter o Daflon® fora da vista e do alcance das crianças. Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem exterior e no blister, após “EXP”. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado. Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente. Conteúdo da embalagem e outras informações. Qual a composição de Daflon®: As substâncias ativas são bioflavonoides (Fração flavonoica purificada micronizada). Cada comp. rev. por película de 500 mg (ou 1000 mg) contém: 90% de diosmina, ou seja 450 mg (ou 900 mg) por comp. rev. por película, e 10% de flavonoides expressos em hesperidina, ou seja 50 mg (ou 100 mg) por comp. rev. por película. Os outros componentes de Daflon® 500 e 1000 comp. rev. são: Núcleo: carboximetilamido sódico, celulose microcristalina, gelatina, estearato de magnésio e talco. O Daflon® 1000 contem ainda aroma de laranja (que contém álcool benzílico). Revestimento: glicerol, macrogol 6000, hipromelose, laurilsulfato de sódio, dióxido de titânio (E 171), óxido de ferro amarelo (E 172), óxido de ferro vermelho (E 172) e estearato de magnésio. Os outros componentes de Daflon® 1000 comp. mastigáveis são: Manitol, sorbitol, maltodextrina, aroma de laranja (contém álcool benzílico), acessulfamo potássico, estearato de magnésio, sílica coloidal anidra. Qual o aspeto de Daflon® 500 e 1000 comp. rev. e conteúdo da embalagem: Os comps revs são de cor salmão e de forma oval e estão disponíveis em embalagens de 60 e 120 comprimidos (Daflon® 500) e de 30 e 60 cps (Daflon® 1000). Os comps mastigáveis são amarelo-acastanhados, disponíveis em embalagens de 30 e 60 cps. Titular da Autorização de Introdução no Mercado: Servier Portugal – Especialidades Farmacêuticas, Lda., Torre Oriente – Avª Colégio Militar 37F – piso 6 – fração B, 1500-180 Lisboa, Portugal, tel: 21 312 20 00, e-mail: servier.portugal@servier.com. Fabricante: Laboratorios Servier, S.L., Avenida de los Madroños, 33, 28043 Madrid, Espanha ou Les Laboratoires Servier Industrie (LSI), 905 route de Saran, 345520 Gidy, França. Este folheto foi revisto pela última vez em 11/2023.

Informações Essenciais constantes no RCM: Nome do medicamento*: Daflon® 1000. Composição*: Bioflavonoides (Fração flavonóica purificada micronizada). Cada comprimido de 1000 mg contém: 90% de diosmina, ou seja, 900 mg; 10% de flavonoides expressos em hesperidina, ou seja, 100 mg. Forma farmacêutica*: Comprimido revestido por película, cor de salmão e de forma oval. Comprimido mastigável de cor amarela pálida mosqueada, forma redonda. Indicações terapêuticas*: Tratamento dos sintomas e sinais relacionados com a insuficiência venosa (pernas pesadas, dor, cansaço, edema). Tratamento sintomático da crise hemorroidária. Posologia e modo de administração*: Posologia habitual: 1 comprimido por dia. Na crise hemorroidária: nos 4 primeiros dias: 1 comprimido 3 vezes ao dia; nos 3 dias seguintes: 1 comprimido 2 vezes ao dia; em seguida voltar à posologia de manutenção: 1 comprimido por dia. Modo de administração: o comprimido mastigável deve ser mastigado inteiro e em seguida, o que sobrar, deglutido. Contraindicações*: Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização*: A administração deste medicamento no tratamento sintomático da crise hemorroidária não substitui o tratamento de outros problemas anais. Se não houver remissão dos sintomas, deve ser consultado um médico de forma a proceder-se ao exame proctológico e à revisão do tratamento, caso haja necessidade. Excipientes: Daflon® 1000 comprimido revestido por película é isento de sódio; Daflon®1000 comprimido mastigável contém sorbitol e álcool benzílico O álcool benzílico pode causar reações alérgicas. Interações medicamentosas e outras formas de interação*: Não foram realizados estudos de interação. Da experiência de pós-comercialização do medicamento, nenhuma interação medicamentosa clinicamente relevante foi notificada até à data. Fertilidade, gravidez e aleitamento*: Gravidez: Os estudos em animais não indicam toxicidade reprodutiva.  A quantidade de dados sobre a utilização da fração flavonóica purificada micronizada em mulheres grávidas, é limitada ou inexistente. Como medida de precaução, o tratamento deve ser evitado durante a gravidez. Amamentação: Desconhece-se se a substância ativa/metabolitos são excretados no leite humano. Não pode ser excluído qualquer risco para os recém-nascidos/lactentes. Tem que ser tomada uma decisão sobre a descontinuação da amamentação ou a descontinuação/abstenção da terapêutica com Daflon® 1000 tendo em conta o benefício da amamentação para a criança e o benefício da terapêutica para a mulher. Fertilidade: Estudos de toxicidade em ratos machos e fêmeas não mostraram efeitos na fertilidade. Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas*. Efeitos indesejáveis*: Frequentes: diarreia, dispepsia, náuseas, vómitos. Pouco frequentes: colite. Raros: tonturas, cefaleias, mal-estar geral, erupções cutâneas, prurido, urticária. Frequência desconhecida: dor abdominal, edema isolado da face, dos lábios e das pálpebras. Excecionalmente edema de Quincke. Sobredosagem*: Sintomas:  A experiência de sobredosagem com Daflon® 1000 é limitada. Os eventos adversos mais frequentemente notificados em casos de sobredosagem foram eventos gastrointestinais (tais como diarreia, náuseas, dor abdominal) e eventos cutâneos (tais como prurido, erupção cutânea). Tratamento: O tratamento da sobredosagem deve consistir no tratamento dos sintomas clínicos. Propriedades farmacológicas*: Daflon® 1000 exerce uma ação sobre o sistema vascular de retorno: ao nível das veias, diminui a distensibilidade venosa e reduz a estase venosa; ao nível da microcirculação, normaliza a permeabilidade capilar e reforça a resistência capilar. Apresentação: Caixas de 30 e 60 comprimidos. Titular da AIM: Servier Portugal – Especialidades Farmacêuticas, Lda., Torre Oriente – Avª Colégio Militar 37F – Piso 6 – Fração B, 1500-180 Lisboa. Tel: 213122000. www.servier.pt.  Para mais informações deverá contactar o titular de AIM. Daflon® 1000 é um MNSRM. RCM Daflon®1000 comprimido revestido por película aprovado em 03.2023. RCM Daflon®1000 mastigável aprovado em 02.2023. IECRCM 20.07.23 *Para uma informação completa por favor leia o Resumo das Características do Medicamento.